Curiosidades

Represa de Juturnaíba

A Represa de Juturnaíba, antiga Lagoa de Juturnaíba, é um importante espelho d'água, situada no Rio São João e que é responsável pelo abastecimento de água da Região dos Lagos.

Juturnaíba é considerada por muitos como um santuário ecológico, em razão de sua proximidade com a Reserva Biológica Poço das Antas, além de que encontra-se no local uma grande diversidade de peixes, havendo pequenas ilhas no local que fazem da lagoa um viveiro natural de espécies nativas de animais.

Responsável pelo abastecimento de água potável da Região dos Lagos, tem profundidade média de 5 m. Muito piscosa, tem bagres, acarás, traíras, piaus e sairus como principais espécies. Em suas margens, localiza-se a Reserva Ecológica de Poço das Antas.

O Projeto JUTURNAÍBA VIVA tem como objetivo principal contribuir com a conservação do maior manancial genuinamente fluminense, a bacia hidrográfica do rio São João, localizada na porção central litorânea do estado do Rio de Janeiro.

Para isso, a Associação Mico-Leão-Dourado e o Consórcio Intermunicipal Lagos São João concentram seus esforços nas microbacias dos rios que mais contribuem às águas do reservatório: Capivari, Bacaxá e Cambucás.

Os principais impactos positivos deste projeto são:

Melhoria na qualidade hídrica do reservatório;

Aumento da cobertura florestal na bacia do São João, habitat do raro mico-leão-dourado, primata que só existe no estado do RJ e reconhecido como espécie bandeira para a conservação em todo o mundo;

Envolvimento e capacitação das locais sobre gestão do meio ambiente e dos recursos hídricos, com melhoria na geração de renda por meio da estruturação de viveiros florestais.

ÁREAS DE ATUAÇÃO DO PROJETO JUTURNAÍBA VIVA

As principais ações do Projeto Juturnaíba Viva são voltadas para a restauração florestal de Áreas de Preservação Permanente (APP) nas principais microbacias contribuintes, melhorando a qualidade da água do reservatório de Juturnaíba com vistas a assegurar o abastecimento público da região dos Lagos.

Juturnaíba é uma represa formada na década de 1980, a partir da barragem do Rio São João e da expansão de uma lagoa original. Hoje, Juturnaíba é um importante reservatório de água, que abastece a maioria dos municípios da Região dos Lagos Fluminense. Este reservatório localiza-se no município de Silva Jardim e Araruama, no Estado do Rio de Janeiro.

O nome Juturnaíba vem do Tupi e significa “lago medonho”. Este nome foi dado pelos índios Tamoios em referência ao canto melancólico dos urutaus (Nyctibius sp), ave noturna aparentada às corujas que assustava os índios.
Objetivo Específico 1. Restaurar 60 hectares em Áreas de Preservação Permanente (APPs) dos cursos d'água nas microbacias dos rios Capivari, Bacaxá e Cambucás em grandes, médias e pequenas propriedades e em lotes de assentamentos rurais nos municípios de Silva Jardim e Rio Bonito.

Até o momento, foram protegidos (isolados de perturbação) 54,0 hectares para as ações de recuperação florestal. Deste total, foram plantados 16,7 hectares com mudas de árvores nativas da Mata Atlântica. Estas áreas passarão por manutenção, com roçadas, coroamentos, reposição de mudas e ajustes de cercas, durante os próximos dois anos após o plantio. O crescimento das mudas e o desenvolvimento de algumas destas áreas são monitoradas por pesquisadores da UENF, parceira da AMLD no Projeto JUTURNAÍBA VIVA.

UENF - Universidade do Norte Fluminense

Perguntas mais frequentes

Apesar de a quantidade a ser ingerida variar de acordo com a idade e o sexo, por dia é recomendável o consumo de dois a três litros de água para evitar desidratações. No caso de atletas, o consumo exigido deve aumentar, já que eles perdem muito líquido durantes as atividades físicas.

A água constitui 70% do nosso corpo e sua função, além de hidratar, é a de regular a temperatura interna, eliminar toxinas e facilitar o funcionamento dos órgaos, ajudando no transporte de nutrientes e nas reações metabólicas, essenciais para nosso bem-estar e sobrevivência.

Não. Outras bebidas não tem o mesmo efeito que a água no nosso organismo. Sucos e chás apesar de serem naturais, não devem ser ingeridos exageradamente, pois são mais calóricos que a água.

O tratamento consiste na transformação da água bruta captada no rio em água potável para o consumo humano. Ele é realizado na Estação de Tratamento de Água. A primeira etapa consiste em retirar da água bruta, por processos físicos e químicos, as partículas sólidas em suspensão e diluídas que provocam cor e turbidez (baixa transparência) na água. Nesta etapa são feitas: a floculação, que é a formação de flocos de materiais sólidos em suspensão e diluídos por meio da ação de produtos químicos; a decantação, onde esses flocos ficarão retidos e a filtração, que completa a retirada desses materiais sólidos. Na próxima etapa, é adicionado o flúor, que tem a finalidade de ajudar a proteger os dentes da população, principalmente infanto-juvenil, das cáries. Também nesta etapa é adicionado o cloro, que tem a função de desinfecção da água. A presença do cloro na água, em todos os pontos das redes de distribuição, é a principal garantia da sua potabilidade.

É a água é captada por meio da perfuração do subsolo e que não recebe tratamento, por ser 100% natural. Dependendo do local de onde é retirada, apresenta maior ou menor concentração de determinados sais minerais, como zinco, selênio, magnésio, cálcio e potássio. Para ser extraída e comercializada, precisa atender às normas do Código de Águas Minerais, do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), do Ministério de Minas e Energia, que estabelece a quantidade mínima e máxima de substâncias minerais que ela pode conter.

Se você usa o sistema disque-água para comprar garrafões retornáveis, recuse embalagens sem rótulo, envelhecidas e com a tampa vazando. Observe também o prazo de validade do recipiente e, caso tenha mais de quatro anos, o recuse. Quem reabastece o garrafão em fontanários precisa lavá-lo em casa: encha de água, adicione duas colheres de sopa de bicarbonato de sódio, aguarde 40 minutos, jogue fora a mistura e enxágüe. Lave também o bebedouro que sustenta o garrafão.

A empresa precisa ter um registro no Ministério da Saúde e o número de concessão de lavra pelo DNPM - ambos estão impressos no rótulo, bem como a composição química da água. Nos sites desses órgãos governamentais, você pode checar se a empresa está legalmente no mercado. Outra alternativa é consultar a Abinam (www.abinam.com.br) e verificar se o fornecedor é filiado à entidade.

Mudar hábitos e costumes é o principal ato. Adote ações conscientes no seu dia-a-dia, tais como:

• Ao escovar os dentes ou fazer a barba, mantenha a torneira fechada até a hora de enxaguá-los ou lavar o rosto;

• No banho, feche a torneira enquanto estiver se ensaboando;

• Evite deixar a torneira ligada enquanto ensaboa louças. Só abra quando for enxaguá-los;

• Quando lavar roupas, junte uma quantidade suficiente para lavar de uma vez, aproveitando a capacidade total do seu tanque ou máquina de lavar;

• Aproveite a água do tanque para lavar pisos e pátios;

• Lavar calçada é desperdiçar água. Você tem o mesmo resultado se usar a vassoura. Faça apenas a varrição. Recolha a sujeira varrida com uma pá e coloque no lixo. Não deixe a sujeira varrida na sarjeta ou na calçada do vizinho. Ela é fonte de poluição dos cursos-d’água;

• Se você lava o carro uma vez por semana, passe a lavá-lo a cada quinze dias, usando balde ou bacia no lugar da mangueira;

• Regue as plantas e jardins logo pela manhã ou no final da tarde. Após uma chuva, suspenda a rega por 2 ou 3 dias;

• Não jogue lixo no vaso sanitário para não aumentar desnecessariamente a freqüência das descargas. Mantenha sempre uma lixeira no banheiro;

• Verifique se há vazamentos na estrutura do imóvel e se existir, procure um encanador de sua confiança para solucionar esse problema;

• Mantenha a bóia da caixa d’água, as válvulas de descargas e as torneiras em permanente estado de conservação, sem vazamentos;

• Acompanhe pela conta de água o volume consumido em sua casa todos os meses. Multiplique o volume consumido em m3 por 1000 para obtê-lo em litros. Divida este valor por 30 (dias) para obter o consumo diário. Divida este resultado pelo número de pessoas que moram em sua casa para obter o consumo diário por pessoa (litros/pessoa/dia). O valor ideal de consumo, para os padrões nacionais, é de aproximadamente 150 litros, sem desperdício.

Rio Bonito - RJ


Tel.: 21 2747-8313

Tel.: 21 2747-8607


A Cascatazul na Rede:

   

Curta-nos no Facebook